carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Notícias > Internacional

Produtores de café da China farão cultivos na América Latina

postado em 26/02/2016

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Fontes da Federação da Indústria e Socialização do Café da província de Heilongjiang, no nordeste da China, anunciaram que seis unidades associadas à federação irão à Argentina para cultivar grãos de café e utilizarão tecnologia de torra do Brasil para criar uma marca de café chinesa.

De acordo com o presidente dessa federação, Di Guochen, “com a chegada das cafeterias dos Estados Unidos, Europa e Coreia a Harbin, capital da província de Heilongjiang, a cidade se converteu nos últimos anos em uma cidade de cultura de café”.

Durante os últimos três anos, mais de 400 cafeterias se estabeleceram em Harbin e o volume de consumo de café alcançou 60 toneladas no mês.

“Atualmente, a maioria dos grãos de café no mercado nacional provém das províncias de Yunnan e Hainan, ambas localizadas no sul da China, enquanto que há falta de grãos de café de alta qualidade. Normalmente, o melhor período para provar café é mais ou menos sete dias após a torra e se a federação cultiva café na América Latina e torra em Harbin, os cidadãos chineses não somente poderão provar o café mais original e barato com uma melhor qualidade, mas também, converterá Harbin em um centro de negócios de grãos de café na China após as províncias de Yunnan e Hainan”.

Até o momento, a federação chegou a um acordo de intenção de inspeção com uma fazenda de 400 hectares na província argentina de Río Negro, segundo o qual se cultivarão grãos de café na Argentina e se estabelecerá uma fábrica de torra em Harbin onde se introduzirá a tecnologia brasileira para criar a marca de café chinesa.

Espera-se que os produtores chineses de café possam armazenar em uma zona franca os grãos cultivados na Argentina depois de seu transporte a Harbin.

Tomar café constitui uma tradição para a Rússia, Japão e Coreia, países vizinhos com a China. No entanto, esses países não cultivam café e, por isso, a cidade de Harbin aproveitará a oportunidade para fomentar a exportação de café nesses países com o fim de impulsionar o desenvolvimento do setor na China.

As informações são da Xinhua/ Tradução por Juliana Santin 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2016 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade