ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Aplicação de uréia em cobertura para a cultura do café

POR ANDRÉ GUARÇONI M.

SOLOS E NUTRIÇÃO

EM 15/08/2006

42
0
Dias atrás, um amigo cafeicultor me perguntou se poderia aplicar uréia sobre as folhas de café caídas no chão ou se precisaria limpar o local da aplicação. A resposta foi simples e direta. Entretanto, essa simplicidade é embasada em muitos aspectos teóricos. Tentaremos abordar alguns deles, para que o leitor do CaféPoint possa decidir por si mesmo, o que, na cafeicultura empresarial, é o mais adequado.

A uréia é um adubo mineral sintetizado industrialmente, com, aproximadamente, 44 % de N, cuja fórmula química é CO(NH2)2. É sintetizada a partir da combinação de amônia (NH3) líquida com gás carbônico.

As plantas não absorvem a uréia diretamente, esta deve ser transformada em NH4+ (amônio) ou NO3- (nitrato), que são as formas preferencialmente absorvidas. Ao se aplicar a uréia no solo, esta é rapidamente hidrolisada pela ação da urease, enzima liberada por microrganismos, formando NH4+ segundo a reação simplificada:

CO(NH2)2 + 2 H2O --> 2 NH4+ + CO32- + OH-.

Pela reação, pode-se notar que, além da formação de NH4+, há liberação de OH-, o que eleva bastante o pH em torno do grânulo de uréia aplicado. O NH4+ formado poderá ser absorvido pelas plantas, imobilizado por microrganismos, convertido à NO3- por meio da nitrificação ou adsorvido por forças eletrostáticas aos sítios de troca do solo. Além disso, pode ocorrer a rápida transformação do NH4+ em NH3 (g) (amônia), que é um gás e se perde para a atmosfera, fenômeno denominado como volatilização da amônia.

A reação simplificada de volatilização da amônia é a seguinte:

NH4+ + OH- ↔ NH3 (g) + H2O

Quanto mais alcalino o solo (maior pH), mais a reação tenderá para a direita, ou seja, formação de NH3 (g). Dessa forma, há um feito cumulativo das duas reações, gerando elevada volatilização de NH3 (g). Na hidrólise da uréia há formação de OH- que, em conjunto com o OH- proveniente do solo, irá reagir com o NH4+, causando elevada perda de nitrogênio do sistema solo:planta na forma de NH3 (g).

As perdas de nitrogênio por volatilização da amônia, quando se aplica a uréia em cobertura, estão compreendidas entre 25 - 30 % da quantidade aplicada, podendo chegar a 70 % dependendo do solo e da forma de aplicação.

Como a urease é uma enzima "fabricada" por microrganismos, e, quanto mais as condições do meio favorecerem a atuação dos mesmos, maior a produção de urease e maior a transformação da uréia em NH4+, com possíveis perdas de nitrogênio por volatilização de NH3 (g). Essas condições favoráveis são: pH elevado, umidade, temperatura elevada e presença de restos culturais.

Para reduzir as perdas de nitrogênio por volatilização, quando se aplica uréia em cobertura, deve-se, portanto, utilizar um manejo que equacione as condições acima descritas e algumas outras características do solo.

Ph

O pH do solo que promove melhor desenvolvimento do cafeeiro tende a favorecer volatilização de NH3. Em relação a isso, pouca coisa pode ser feita, mas deve-se evitar, se possível, a aplicação superficial de uréia em solo com pH mais elevado. A capacidade de tamponamento do pH do solo também pode interferir na volatilização de NH3. A aplicação superficial de uréia promove aumento do pH ao redor dos grânulos, o que favorece a volatilização da amônia. Este aumento do pH é mais acentuado em solos arenosos, com baixa capacidade de tamponamento, especialmente quando são aplicadas elevadas doses de N.

Umidade

O umedecimento do solo, imediatamente após a aplicação da uréia, é mais importante do que a condição de umidade do solo no momento da aplicação. A água diminui a volatilização da amônia se for suficiente para diluir a concentração de OH- ao redor dos grânulos de uréia, além de proporcionar a incorporação de uréia ao solo. Se a quantidade de água for suficiente para incorporar a uréia ao solo, como numa chuva ou irrigação, as perdas de N por volatilização são mínimas. A ação da água deve ocorrer o mais rápido possível, pois a maior perda de nitrogênio por volatilização se dá em até seis dias após a aplicação da uréia.

Temperatura

Em temperaturas mais baixas a ação dos microrganismos é reduzida, diminuindo a hidrólise da uréia. Portanto, se pode esperar menores perdas de nitrogênio por volatilização em lavouras de café arábica, em relação a lavouras de café conilon, devido às exigências climáticas das duas espécies.

CTC

Solos com elevada CTC apresentam elevada capacidade de reter o NH4+, o que dificulta a volatilização de amônia. Por isso, a volatilização é menor em solos argilosos do que em solos arenosos.

Restos Culturais

Os restos culturais podem aumentar ou reduzir o efeito das condições acima descritas. Se por um lado, os restos culturais, que estimulam a ação dos microrganismos e elevam a concentração e a atividade da urease, podem aumentar a volatilização da amônia, por outro lado, diminuem a temperatura do solo e a perda de umidade por evaporação, além de aumentar a CTC do solo, o que pode diminuir a volatilização da amônia.

No entanto, quando se aplica a uréia sobre os restos culturais, como folhas caídas no chão, estes impedem o contato imediato da uréia com o solo. Com isso, possíveis retenções de NH4+ nos sítios de ligação do solo não ocorrem. Mas a hidrólise da uréia continua, pois existem microrganismos e umidade nesses restos vegetais. Nesse caso, as perdas de nitrogênio por volatilização serão elevadas.

Considerando as condições descritas, pode-se separar três situações para aplicação de uréia em cobertura:

a)A presença de restos culturais na superfície do solo diminui as perdas de nitrogênio por volatilização quando eles proporcionam menor temperatura e maior umidade ao solo, em comparação ao solo descoberto. Entretanto, a aplicação de uréia sobre esses restos causa elevada perda de nitrogênio por volatilização.

b)Em condições semelhantes de umidade no solo, o que ocorre com a aplicação de uréia, logo após a chuva, a perda de nitrogênio por volatilização é maior se a uréia for aplicada sobre as folha caídas no solo.

c)Quando ocorre chuva ou é realizada irrigação logo após a aplicação da uréia, a perda de nitrogênio por volatilização é a mesma, com a aplicação sobre folhas caídas ou se essas forem retiradas.

Mas qual foi a resposta, simples e direta, transmitida ao amigo produtor?

A resposta foi: Tanto faz. Tanto faz, pois as perdas podem ser maiores ou menores em relação a um caso ou outro, mas, mesmo assim, serão elevadas em ambos. Se a uréia for aplicada em cobertura, sobre as folhas caídas no chão ou sobre o solo nu, as perdas de nitrogênio por volatilização da amônia serão muito grandes. Exceto se chover ou se for realizada irrigação logo após a aplicação da uréia.

No Quadro abaixo são mostrados exemplos de perdas de nitrogênio por volatilização em três situações, uma de baixa, uma intermediária e outra de elevada perda. Foram calculadas as perdas em sacas de uréia de 50 kg/ha e quanto se perde em dinheiro, considerando o preço da saca de uréia de R$ 45,00 e a aplicação de 20 sacas de uréia por hectare, ou seja, condição plausível para elevada produção.


Obviamente, as perdas são menores em uma condição onde a volatilização de amônia seja baixa. Mas, mesmo assim, quem quer perder R$ 225,00/ha na adubação nitrogenada, considerando apenas as perdas por volatilização? Devemos substituir a uréia por sulfato de amônio, que "não perde" nitrogênio por volatilização?

Não! A substituição indiscriminada de uréia por sulfato de amônio é um equívoco. Apenas em algumas situações particulares ela é indicada. A uréia contém 44 % de N e o sulfato de amônio contém 20 % de N. Se houver uma perda de 50 % do N contido em uma saca de uréia, ainda assim a quantidade aplicada de N será maior do que numa saca de sulfato de amônio.

Para reduzir a volatilização de amônia e a perda de nitrogênio quando a uréia é aplicada em cobertura, basta cobri-la com uma camada de terra de, aproximadamente, 4 cm de espessura após a aplicação. Agindo assim, em solo mais úmido e com a expectativa de chuva próxima, as perdas de nitrogênio por volatilização de amônia são insignificantes.

Essa é a forma mais eficiente de se aplicar uréia em cobertura e foi minha recomendação ao amigo cafeicultor. Felizmente, agora ele sabe que, se não agir assim, deve estar preparado para perder, só na adubação nitrogenada, R$ 225,00 ou mais por hectare, apenas pela volatilização de nitrogênio na forma de amônia.

Com essas informações ele pôde tomar sua decisão, bem como, poderão os leitores do CaféPoint.

ANDRÉ GUARÇONI M.

D.Sc. em Solos e Nutrição de Plantas pela Universidade Federal de Viçosa-MG. Pesquisador do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper)

42

COMENTÁRIOS SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Seu comentário será exibido, assim que aprovado, para todos os usuários que acessarem este material.

Seu comentário não será publicado e apenas os moderadores do portal poderão visualizá-lo.

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ANDRÉ GUARÇONI M.

VENDA NOVA DO IMIGRANTE - ESPÍRITO SANTO - PESQUISA/ENSINO

EM 12/05/2017

Jocelen e Adelber,



A aplicação de soluções fertilizantes contendo ureia + KCl, ou apenas ureia isoladamente, é muito eficiente. Se houver mão de obra suficiente, a aplicação via "drench" é uma prática recomendável.



Sucesso.
ANDRÉ GUARÇONI M.

VENDA NOVA DO IMIGRANTE - ESPÍRITO SANTO - PESQUISA/ENSINO

EM 12/05/2017

Caro Fernando Fabiano,



Será exatamente o contrário. A ureia aplicada via fertirrigação não perde N por volatilização. Logo, se ela tem maior concentração de N, você pode reduzir um pouco a dose de ureia em relação à dose de nitrato de amônio.



Por exemplo, se for para aplicar 100 kg/ha de N, serão necessários:

Ureia: 222,22 kg/ha de ureia.

ou

Nitrato de amônio: 277,78 kg/ha de nitrato de amônio.



Basta fazer a avaliação do custo do kg de N no fertilizante, e definir qual aplicar.



Sucesso.
FERNANDO FABIANO

CONCEIÇÃO DA APARECIDA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 11/05/2017

Considerando a % de N presente na Uréia, que é 45, sendo 26% superior a concentração de N do nitrato, que tem 33% de N, aplicando o nitrato de amônio na fertiirrigação, eu estaria obtendo a mesma eficiência, com uma dose mais baixa de fertilizante, se comparado com a aplicação de uréia.

Essa consideração procede???
ADELBER VILHENA BRAGA

CAMPESTRE - MINAS GERAIS

EM 07/02/2017

Sobre a pergunta anterior é viável dissolver a ureia para aplicação via "drench" para lavouras em estágio inicial, pois exigem baixas concentrações de N. Quanto ao Kcl não há necessidade, pois pode ser aplicado com solo seco sem que haja perdas.
JOCELEN

ARIQUEMES - RONDÔNIA - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 06/02/2017

e plausivel dissolver ureia + kcl e aplicar a calda proximo ao pe ?
EUNICE M DA SILVA

ALTEROSA - MINAS GERAIS

EM 28/12/2016

olá, plantei 1200 mudas de cafe a 50 dias, não fiz nem uma adubação nem cobertura devido ao sol, as mudas estão murchando, como que eu faço? posso fazer a cobertura e adubação mesmo com sol?
ROGERIO

PRESIDENTE KENNEDY - ESPÍRITO SANTO - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 08/05/2016

Eu sou Rogério tenho uma lavoura de café conilon aqui em Presidente Kennedy ,já estamos colhendo aqui e já estou podando as áreas colida ,eu to colocando adubo na lavoura de acordo com que eu vou podando ,to colocando o adubo e tapando com terra para espera as chuvas ,eu queria saber se eu posso perde a urea do adubo?
SANZIO DAYRELL RODRIGUES

MONTE CARMELO - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 18/04/2016

Dr. André, com essas altastemperaturaas em alguns meses do ano  qual sua opinião :

continuo fertiirrigando meu café de 1° ano, e quanto de nitrogenio faço por ano nele por planta ,faço os 12 meses do ano ou não ?
JOSÉ EDUARDO BITTAR

EM 29/12/2015

Sr, O solo de minha propriedade está com deficiência de fósforo e como vou plantar café agora em janeiro gostaria de saber qual produto indicado para combater essa deficiência.

Attt,

José Eduardo
MAX

PANCAS - ESPÍRITO SANTO - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 09/06/2015

gostaria de saber se o nitrato de calcio e a ureia  sufatada fazem o mesmo efeito no cafe
ANDRÉ GUARÇONI M.

VENDA NOVA DO IMIGRANTE - ESPÍRITO SANTO - PESQUISA/ENSINO

EM 06/04/2015

Prezada Maria Júlia,



Se fosse apenas nitrato, não seria perdido N por volatilização. O problema do nitrato é a perda por lixiviação, ou seja, percolação junto com a água que desce no perfil do solo. Para o nitrato, se não chover, não há perda, mas também não há absorção pela planta.



Por outro lado, deve-se ressaltar que um 27 00 10 não é composto unicamente por nitrato. Certamente há ureia em sua composição. As concentrações de N nos nitratos estão em torno de 15 %, ou seja, só com nitrato, a fórmula não fecha. Nesse caso, é possível que tenha ocorrido alguma perda de N por volatilização de amônia. Mas você não perdeu tudo. Fique tranquila. Preste atenção na resposta visual da planta. Seria adequado que fizesse uma análise foliar daqui a um mês, para poder avaliar os teores de N no tecido das plantas.



Sucesso.



André Guarçoni M.
MARIA JULIA

NOVA RESENDE - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 03/04/2015

Fiz uma adubaçao com 27 00 10 com nitrato e nao choveu, mesmo assim o adubo se dissolveu com o orvalho da noite. Perdi tudo ou nao?



Maria Julia

Nova Resende MG
ANTONIO CARLOS

CAMPO DO MEIO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 11/03/2015

Bom dia Sr André

Hoje tem no mercado vários tipos de fertilizantes que prometem baixa volatilidade e alta eficiência no fornecimento de N para culturas perenes, sou produtor de café em Campo do Meio, sul de MG, quero saber sobre fertilizantes encapsulado (POLIBREM PRODUCOLT da Produquímica) e também os N de liberação lenta tipo CICLOS e outros que podemos jogar com solo seco e uma vez por ano, sendo que o custo é bem maior.
PRETT BACCHIET

RIO BANANAL - ESPÍRITO SANTO - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 06/09/2014

Dr André,

Qual seria minha perda na adubação de ureia via fertirrigaçao com superior de 15 minutos de aplicação de adubo e 25 minutos de água após a adubação,e local da aplicação livre de folhas,(ou seria melhor haver presença de folhas?)? E se no dia seguinte teria que que fazer uma nova irrigada nos locais aplicados para diminuir a perca ?
THIAGO LIMA VIGNATTI

SÃO MATEUS - ESPÍRITO SANTO - ESTUDANTE

EM 08/06/2014

Dr. Andre,



temos visto em nossa região nesse momento de pós safra a aplicação de ureia para recuperação das lavouras, gostaria de saber e quantificar quanto e quando devo fazer essa aplicação baseado na produtividade que devo colher, pois falam em 100g , 200g até então não achei nenhum artigo relacionado.



Obrigado
JOÃO PAULO

SANTA RITA DO ITUETO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 16/09/2013

Boa Dr. André,



Possuo um cafezal com espaçamento 2,8 x 1,0 com 5 anos. Na recomendação feita pelo engenheiro agrônomo vou gastar 280 gramas de Ureia para aplicar via irrigação por gotejamento por ciclo, gostaria de saber em quantos parcelamentos posso dividir essa adubação nitrogenada para ter o máximo de eficiência ?
LEONIR JOSÉ UCELI

RIO BANANAL - ESPÍRITO SANTO - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 06/09/2013

boa noite se eu aplicar o adubo foliar no café e logo depois chover eu perco a eficiénsia do produto aplicado?
ANDRÉ GUARÇONI M.

VENDA NOVA DO IMIGRANTE - ESPÍRITO SANTO - PESQUISA/ENSINO

EM 27/06/2013

Prezado Everton,



Não acredito que este 27-00-00 seja formado por N apenas na forma nítrica; certamente deve haver boas quantidades de N na forma amoniacal ou amídica (uréia). Só vendo com o fabricante. Supondo que o N esteja exclusivamente na forma nítrica, o que é pouco provável, não significa que não ocorrerão perdas. O N na forma de nitrato é o nutriente mais perdido por lixiviação.



Como no caso citado o 27-00-00 é 43 % mais caro do que a uréia, esta será mais viável, pois, mesmo que venha a perder 30 % do N via volatilização, o que é muito difícil, ainda sairia mais em conta. Basta fazer os cálculos.



Sucesso.



André Guarçoni M.
EVERTON COSTA

SÃO DOMINGOS DO NORTE - ESPÍRITO SANTO - REVENDA DE PRODUTOS AGROPECUÁRIOS

EM 26/06/2013

Boa tarde,

Nesta caso o preço do kg de N na ureia esta mais barato. Mas e quanto as percas de ambos, considerando que o 27-00-00 é nitrico e e a Ureia nao. Nesta caso, qual seria mais viavel?

Grato.
ANDRÉ GUARÇONI M.

VENDA NOVA DO IMIGRANTE - ESPÍRITO SANTO - PESQUISA/ENSINO

EM 25/06/2013

Danilo,



Nesse caso, basta você calcular o preço do kg de N nos dois fertilizantes:



27-00-00 = (R$ 50,00/27% de N) x 2 = 3,70  1 kg  de N vale R$ 3,70



Uréia = (R$ 58,25/45% de N) x 2 = 2,59   1 kg  de N vale R$ 2,59



Portanto, o 27-00-00 é 43 % mais caro do que a uréia.



Fácil decidir.



Abraços.



André Guarçoni M.