FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Como manejar resíduos e facilitar o arranquio de cafeeiros

POR JOSÉ BRAZ MATIELLO

TÉCNICAS DE PRODUÇÃO

EM 12/08/2016

0
0
Por José Baz Matiello – engenheiro agrônomo da Fundação Procafé e Celio Landi Pereira – engenheiro agrônomo da FSH

No arranquio de cafeeiros, visando a substituição de cafezais, sobram muitos resíduos dos próprios pés de café arrancados, na forma da folhagem, ramos e troncos das plantas. O manejo desse resíduo vegetal deve ser feito de forma adequada, de modo a atender a quatro finalidades principais:

1-Aproveitar, ao máximo, o material fino dos pés de café na própria área, pois o mesmo é rico em nutrientes e promove, ainda, a melhoria do teor de matéria orgânica do solo, com liberação lenta dos nutrientes.
2-Dar facilidade operacional e menor custo ao trabalho de arranquio da lavoura.
3-Deixar o terreno mais limpo e com facilidade de uso em seguida, para novo plantio, de café ou outro cultivo.
4-Viabilizar, quando indicado, o aproveitamento da parte grossa, do tronco, para lenha.


Deste modo, para atender bem a essas finalidades, um dos modos mais indicados para manejo do material dos pés de café, tem sido iniciar a operação fazendo um esqueletamento curto e decote baixo dos pés de café, visando cortar todo o material fino, que vai ao solo. Em seguida, continuando, deve-se fazer uma passagem de trincha ou uma roçadeira, nas ruas, para triturar o material, deixando o chão mais limpo. Os troncos que ficaram em pé, em sua parte grossa vão ser, em seguida, arrancados, podendo-se usar vários implementos. O mais eficiente e rápido é a passagem de 2 tratores com corrente, que dá um bom rendimento (cerca de 3ht/ha). Podem ser usados tratores comuns de pneu, com potencia em torno de 75 CV e corrente de 10 a 20 m, andando uns 3 a 4 m longe do outro, levando, assim, uma faixa de uma linha de cafeeiros por vez. A corrente, para um bom trabalho de arranquio, deve ter peso de cerca de 250 Kg, com elos de 7/8. Pode, ainda, ser usada uma pá carregadeira, empurrando com sua pá dianteira, ou um trator de pneu comum com lamina dianteira, ou até um trator de esteira ou retroescavadeira (usando a lamina frontal).

No final basta juntar e retirar a lenha, composta do tronco e das raízes grossas juntas a ele. Esta lenha deverá ser conduzida ao depósito coberto, junto ao secador ou deixada a céu aberto e coberta com lona plástica ou amontoada. Um hectare de lavoura adulta, dependendo da idade e do espaçamento dos cafeeiros, pode render de 30-50 m3 de lenha, o que poderia cobrir, parcialmente, o custo do arranquio do cafezal.

Em cafeeiros não muito velhos e, assim, não possuindo troncos muito grossos, ultimamente tem sido contratados serviços de trincha florestal, a qual tem capacidade pra destruir completamente as plantas, nesse caso sem necessidade de poda de limpeza prévia, nesse caso não se aproveita a lenha. O rendimento, nesse caso, fica em cerca de 5 ht pesado/ha.

Uma vez o terreno limpo, dependendo do que se queira plantar em seguida, pode ser feita ou não uma aração ou gradagem para acerto, e eventual arranquio de raízes ainda presentes na área. Para o plantio de novo cafezal, caso a área esteja com o alinhamento e o espaçamento anterior adequados, especialmente quando já se tem o sistema de irrigação implantado, pode-se efetuar o plantio no mesmo local anterior (na mesma linha), este com a vantagem de ali a fertilidade, fruto de inúmeras adubações/correções anteriores, ter níveis mais altos.

Na substituição de um cafezal por outro devem ser adotados os seguintes cuidados especiais:
1-Verificar a existência de pragas de solo e, sempre que possível, fazer um descanso/rotação com plantio de uma cultura não hospedeira de nematoides, como o milho.
2-Usar inseticidas/nematicidas de solo no plantio, sempre que houver problemas e variedades ou enxertos resistentes no caso de nematoides graves.
3-Verificar, criteriosamente, os resultados de análise do solo da área a substituir, para que possa ser feito reequilíbrio nutricional e evitar excessos prejudiciais.


Sem o manejo adequado, arrancando diretamente os cafeeiros, forma-se um grande volume de resíduos, ficando difícil de limpar a área, só sendo possível, de forma errada, enleirando e botando fogo, perdendo-se boa parte dos nutrientes e da matéria orgânica // Foto: Procafé
Sem o manejo adequado, arrancando diretamente os cafeeiros, forma-se um grande volume de resíduos, ficando difícil de limpar a área, só sendo possível, de forma errada, enleirando e botando fogo, perdendo-se boa parte dos nutrientes e da matéria orgânica

Na mesma área de lavoura, o manejo correto com os cafeeiros esqueletados e decotados baixo só restando o tronco (parte) grosso e o material fino já foi trinchado, só restando passar o correntão ou trator com lâmina (de pneu ou de esteira) e, depois, retirar a lenha, para ser aproveitada  // Foto: Procafé
Na mesma área de lavoura, o manejo correto com os cafeeiros esqueletados e decotados baixo só restando o tronco (parte) grosso e o material fino já foi trinchado, só restando passar o correntão ou trator com lâmina (de pneu ou de esteira) e, depois, retirar a lenha, para ser aproveitada 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.