ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Plano de recursos hídricos do ES pode incluir limite em área plantada de café

POR EQUIPE CAFÉPOINT

PRODUÇÃO

EM 10/04/2017

2
0
Da redação

Após enfrentar uma das secas mais profundas de sua história recente, principalmente em 2015 e 2016, o estado do Espírito Santo volta a discutir medidas para amenizar problemas no futuro. Os próximos 20 anos de gerenciamento da água no Espírito Santo entram em pauta na Assembleia Legislativa (Ales), divulgou o Web Ales, site informativo da Assembleia capixaba. O Plano Estadual de Recursos Hídricos (Perh|ES) será apresentado a deputados durante reunião conjunta das Comissões de Meio Ambiente, Justiça, Finanças e Agricultura, nesta segunda-feira (10/4), às 12h30, no Plenário Rui Barbosa.

Foto: Bruno Lavorato / Café Editora
Foto: Bruno Lavorato / Café Editora


É o que explica o diretor-presidente da Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh), Paulo Paim. “A ideia do plano é envolver a sociedade capixaba na discussão o seu próprio futuro, considerando que a água é a infraestrutura mais importante para o desenvolvimento social e econômico”, destaca. Conforme diz, os planos de recursos hídricos clássicos são mais técnicos.

LIMITE PARA ÁREA DE CAFÉ
Os debates vão durar 15 meses, prazo de entrega do plano, e o que foi sugerido nas participações populares, afirma o diretor-presidente, poderá entrar na conclusão. O Web Ales reportou que, de acordo com Paim, se for decidido que a lavoura de café não pode mais ser expandida no ES, ou que não mais poderá ser plantado eucalipto em determinadas áreas, isso entrará no programa.

O deputado Dr. Rafael Favatto (PEN), presidente da Comissão de Meio Ambiente, ressalta a importância de apresentação do PERH a deputados antes que o projeto tramite na Assembleia Legislativa (Ales) como forma de promover o debate e aproximar o tema do parlamento. “(O plano) é de suma importância porque precisamos ter ideia de como usar os recursos hídricos”, frisa.

Para Paim, a maior contribuição a partir do momento que o plano for entregue será “preparar melhor o estado para enfrentar situações limites como as que estamos vivendo agora”.

O PLANO
O PERH é um dos principais instrumentos previstos na Política Estadual de Recursos Hídricos e vai estabelecer as diretrizes e os critérios de gerenciamento da água no Espírito Santo para os próximos 20 anos. O principal objetivo do PERH é contribuir para que o desenvolvimento econômico, social e ambiental do Espírito Santo seja feito de maneira sustentável e equilibrada, tendo em vista a disponibilidade de água em cada uma das 14 bacias hidrográficas capixabas.

A elaboração do PERH é coordenada pela Agerh, com apoio técnico do Consórcio NKLac/Cobrape, formado pela empresa japonesa Nippon Koei Lac e pela Companhia Brasileira de Projetos e Empreendimentos (Cobrape). O custo total será de R$ 2,9 milhões. Durante todas as etapas de elaboração do plano serão realizados seminários, oficinas interinstitucionais, consultas públicas regionais e diversas reuniões setoriais para garantir a ampla participação dos usuários de água, da sociedade organizada e do poder público. 

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ELMO GUIMARÃES BUENO

CASTELO - ESPÍRITO SANTO - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 23/04/2017

A empresa Nippon Koei Lac e a Cobrape poderiam colaborar com projetos de recuperação de nascentes e recuperação ambiental, graciosamente, já que têm interesse financeiros, econômicos e sociais no Espírito Santo. Elas dispõem de pessoal especializado e recursos financeiros para desenvolver projetos e promover orientações para a população  rural para recuperar áreas degradadas e fazer o tratamento de esgoto e outros resíduos poluentes.

Produzir água é mais importante do que produzir dinheiro.

A grande dificuldade da população rural despoluir os córregos e evitar  poluição das águas.

Elmo Guimarães Bueno - Castelo - ES.
JOAQUIM MAGEWSKI

VILA VALÉRIO - ESPÍRITO SANTO

EM 17/04/2017

Rir para não chorar .Vão gastar 2,9 milho~es de reais para elaborar um plano de erecurços hidricos para estado do espirito santo. E`so fazer valer a lei que criou o car. e todos os que  estão fora a dessa lei recebece  como multa mudas para reflorestar principalmente as nascentes que é a unica maneira de voltar a ter agua. Joaquim Magewski vila valério -es