carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Notícias > Produção

Geoportal do Café: coleta de dados deve ser concluída até março

postado em 27/11/2017

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Da redação

Em 2016 Minas Gerais produziu quase 31 milhões de sacas de café, safra recorde que correspondeu por 60% de todo o volume produzido no país, de acordo com dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Visando dar ainda mais excelência ao setor, o governo mineiro lançou, durante a 5ª edição da Semana Internacional do Café (SIC), que aconteceu em Belo Horizonte, de 25 a 27 de outubro, a plataforma tecnológica chamada Geoportal do Café.

Foto: Felipe Gombossy/Café Editora
                                Foto: Felipe Gombossy/Café Editora

Com a ajuda de satélites e drones, a ideia é mapear todas as áreas de plantio de café no estado, com o intuito de beneficiar tanto os produtores quanto o poder público: de um lado, os cafeicultores conseguirão localizar sua propriedade no mapa, garantindo menos especulação do preço do produto no mercado e tendo a estimativa exata da safra. Do outro, o governo poderá planejar melhores ações para cada região produtora. 
Segundo informações do Jornal da Band de Minas, o investimento total do projeto é de R$ 6 milhões, valor que vale a pena quando se lembra que na agricultura a certeza de procedência aumenta ou reduz o preço de um produto. Até o momento já foram mapeadas as regiões sul e norte do estado, além das áreas do Cerrado. A previsão é que até março de 2018 o trabalho de coleta de dados esteja concluído. 

Para realizar a plataforma o governo de minas mobilizou vários parceiros que atuam no setor cafeeiro, como a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater/MG), a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), a Secretaria Estadual de Agricultura,  a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) e a Fundação João Pinheiro

“Ter informações fiéis, verdadeiras, é muito importante, porque vamos canalizar nossos esforços para uma produção que, de fato, existe", disse a Gerente de agronegócios do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas (Sebrae/MG), Priscilla Lins. 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade