FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Conab prevê safra entre 54,4 e 58,5 milhões de sacas de café para 2018: veja como será o ano nos estados produtores de café

POR EQUIPE CAFÉPOINT

PRODUÇÃO

EM 19/01/2018

2 MIN DE LEITURA

0
0

Em ano de bienalidade positiva, as previsões dos órgãos oficiais para o café são bastante promissoras. O primeiro levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) aponta que a safra nacional deve variar entre 54,4 e 58,5 milhões de sacas de 60 kg beneficiadas, o que pode indicar um crescimento de 21,1 a 30,1% em relação ao ano anterior.

De acordo com o relatório, a produção do café arábica deve aumentar em 26%, enquanto a estatística para o conilon é de crescimento médio de 24,3%. O órgão credita as boas previsões não só à bienalidade do arábica, mas também às melhorias de condições climáticas e ao implemento de novas tecnologias no cafezal.

Em Minas Gerais, a previsão é produzir de 29,09 a 30,63 milhões de sacas. O Sul e o Norte de Minas devem se beneficiar do ganho da área de produtividade, assim como o Cerrado Mineiro, cuja safra também aumentará sensivelmente com a bienalidade positiva do arábica. A Zona da Mata terá um crescimento menor, entre 6,6 e 12,2%, por causa de uma leve redução em área de produção.

Depois de um ano difícil, o Espírito Santo finalmente se encontra em boas condições climáticas, com uma florada excelente nas duas espécies de café, além de uma recuperação ótima nas safras de conilon. A expectativa é que o estado produza de 11,58 a 13,33 sacas de 60 kg. Em São Paulo, a previsão é de 5,85 a 6,15 milhões de sacas, também fruto da bienalidade positiva e do clima bom. O Rio de Janeiro tem previsão de manutenção de produção, com um leve aumento de área plantada.

A Bahia tem previsão de safra de 4,03 a 4,22 milhões de sacas. No Cerrado Baiano, que aumentou a área em produção e a área irrigada, a perspectiva é de clima bom e produtividade elevada. O Planalto tem estimativa de recuperação de safra, pelo impacto da estiagem na formação de grãos no período anterior. A região do Atlântico deve ter produção similar à do ano passado.

A estimativa de safra em Rondônia é de 2,27 a 2,4 milhões de sacas, um crescimento de produtividade que se dá graças ao aumento do parque cafeeiro. Ainda no Norte do Brasil, o Amazonas tem expectativa de produção de 7 mil sacas: a safra anterior teve grandes perdas na produtividade, o que leva a previsão para um crescimento de 6,7%.

O Paraná teve redução de área e terá ciclo de baixa produção: a forte geada de 2013 inverteu a bienalidade da cultura. Estão previstas de 0,9 a 1,02 milhão de sacas. No Centro-Oeste, Mato Grosso desponta com crescimento de 5,1% na área plantada, que somada aos avanços tecnológicos na região, aumentam a produtividade: previsão é de 98,6 a 103,7 mil sacas. Goiás apresenta redução entre 22,9 e 19,7% na safra, porque o baixo índice pluviométrico abalou o padrão da florada. A expectativa é de 146,7 a 152,7 mil sacas.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint