carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Notícias > Mercado

Exportação mundial de café cresce 3,1% e atinge 69,5 milhões de sacas

postado em 28/06/2017

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Da redação

As exportações mundiais de café atingiram 69,5 milhões de sacas de 60 kg no período de outubro de 2016 a abril de 2017, com crescimento de 3,1% em comparação com os mesmos meses do ciclo passado. As informações são do Relatório sobre o mercado de Café relativo ao mês de maio, elaborado pela Organização Internacional do Café (OIC).

Foto: Lucas Albin/Agência Ophelia
                              Foto: Lucas Albin/Agência Ophelia 

De acordo com o material, o volume de café embarcado mundialmente em abril deste ano caiu 5,3% em comparação com o mesmo mês do ano passado. Nesse contexto, as exportações do Brasil e Vietnã, maiores produtores de café do mundo, decresceram 13,5% e 6,9%, respectivamente.

Em relação ao preço, o relatório divulgou que o café robusta registrou maior declínio, de 5% em referência ao mês anterior, caindo abaixo de 100 centavos de dólar dos Estados Unidos por libra-peso pela primeira vez desde setembro de 2016. Os três grupos de arábica registraram quedas significativas: as médias dos preços dos suaves colombianos, outros suaves e naturais brasileiros recuaram 2,3%, 3,5% e 3,6%, respectivamente.

A arbitragem entre arábicas e robustas, medida nos mercados de futuros de Nova Iorque e Londres, aumentou 2,7% para 45,10 centavos de dólar dos Estados Unidos por libra-peso, permanecendo em um nível relativamente baixo. Enquanto isso, a volatilidade diária do preço indicativo composto da OIC aumentou para 6,9%, nível mais alto desde novembro de 2016.

Ainda segundo a pesquisa, os preços do café vêm caindo desde fevereiro como consequência da diminuição das preocupações com a oferta relacionadas ao clima, bem como da desaceleração geral nos mercados de commodities”. Para a OIC, “é importante notar que, pela primeira vez em três anos, os suaves colombianos foram negociados a 1,41 centavos de dólar por libra-peso, ou seja, acima do indicativo dos outros suaves”. E ainda que “este é o ponto final preliminar de um longo processo de convergência iniciado em março de 2016, quando o diferencial entre os dois grupos atingiu um pico de -12,30 centavos”.

Sobre a produção e os preços da Colômbia e países produtores da América Central nos cinco primeiros meses de 2017, o preço dos outros suaves diminuiu a uma taxa maior do que o preço dos suaves colombianos, haja vista que a Colômbia foi bem sucedida no aumento da produção por meio de programas de replantio, enquanto que os produtores de outros suaves, como a Costa Rica, El Salvador, Honduras, Guatemala, México, Nicarágua e Peru foram prejudicados pelo surto de ferrugem do café em 2012/2013, doença que teria levado à redução na oferta de outros suaves, resultando em preços mais altos e, assim, a produção de outros suaves nas demais origens se recuperou, sobretudo em Honduras e Peru.

Dessa forma, o volume das exportações de outros suaves, no período de maio de 2016 a abril de 2017 cresceu 9,4%, em relação ao ano anterior, enquanto que o crescimento observado anteriormente nas exportações de suaves colombianos se estabilizou, menciona o relatório.

Os preços indicativos compostos da OIC são calculados com base numa ‘cesta' das cotações de grupos de café classificados pela própria organização: Colombian Milds, Other Milds, Brazilian Naturals e Robustas. Com base nessas cotações, são calculados os Preços Indicativos diários dos grupos da OIC; Arbitragem entre as bolsas de Nova Iorque e Londres; e Volatilidade da média de 30 dias do preço indicativo composto da OIC. 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade