ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Federação de cafeicultores da Colômbia pede que produtores controlem broca

INTERNACIONAL

EM 10/03/2016

0
0
A Federação Nacional de Cafeicultores da Colômbia fez um chamado urgente aos produtores para manter a broca sob controle, sobretudo agora que, devido ao tempo seco, o inseto se multiplica e afeta de forma importante os frutos do cafezal.

Tendo como base os resultados dos alertas precoces, segundo metodologia do Centro Nacional de Pesquisas de Café (Cenicafé), a Federação lembra aos cafeicultores que a broca pode sobreviver até 150 dias em frutos secos, situação potencialmente problemática, porque quando chegarem às chuvas de abril e maio, essas promoverão maiores voos do inseto.

Esses voos afetarão frutos maduros da colheita do primeiro semestre, mas também, os verdes em formação para a colheita do segundo semestre.

Na atual conjuntura do El Niño, o Serviço de Extensão da Federação encontrou danos importantes, principalmente em frutos colhidos e que estão nas calhas dos beneficiadores. Os departamentos com mais focos do inseto são Antioquia, Caldas, Huila, Quindío, Risaralda, Tolima e Valle del Cauca.

Uma medida a seguir é a colheita estrita dos frutos deixados de colher e que permaneçam na planta. Além disso, quando o café for beneficiado, as pasillas resultantes devem ser “solarizadas” (expostas ao sol em uma bandeja ou recipiente coberto de plástico, como um forno) para garantir a morte dos diferentes estados biológicos da broca e evitar seu retorno ao cafezal.

É necessário evitar a queda dos frutos no solo: os frutos caídos podem ser atacados por brocas de outros frutos das árvores. As populações de broca nesses frutos gerarão re-infestações nos frutos dos cafezais que serão colhidos no segundo semestre do ano.

Outra das medidas mais importantes e efetivas é o repasse, que é a colheita dos frutos de cafés secos e maduros das árvores e do solo uma vez que tenham finalizado os períodos de colheita principal e a intermediária (de duas a três semanas após a realização da última colheita).

Ao analisar as distribuições da colheita do primeiro semestre para as diferentes regiões geográficas do país, observa-se que as colheitas ocorrem em um amplo período de tempo e que em vários locais haverá coletas em maio e junho. Esta situação causa alerta, pois podem “remontar-se” as entregas do fim da colheita do primeiro semestre com a chegada dos frutos da colheita principal ou do segundo semestre.

É igualmente importante atuar sobre as populações de broca que estão hoje nos cafezais.

As informações são da http://www.federaciondecafeteros.org / Tradução por Juliana Santin 

0

COMENTÁRIOS SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Seu comentário será exibido, assim que aprovado, para todos os usuários que acessarem este material.

Seu comentário não será publicado e apenas os moderadores do portal poderão visualizá-lo.

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.