carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Notícias > Internacional

EUA aumenta em 25% a importação de café queniano

postado em 27/04/2017

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Após o Quênia ter apresentado seus produtos em um Simpósio realizado em Seattle, EUA, os torrefadores americanos deverão aumentar em um quarto as compras de café queniano, indo para US$ 33, 48 milhões anualmente.

O Coffee Directorate do Quênia apresentou o café especial do país na reunião anual global do café, onde foram reunidas as principais partes interessadas no setor. A exibição teve como intuito fazer com que os Estados Unidos, que pagam um preço premium pelo café, aumentem suas compras em 25%.

Foto: Alexia Santi/agencia ophelia / Café Editora
Foto: Alexia Santi/agencia ophelia / Café Editora


De toda a exportação anual do Quênia, que equivale a 46.000 toneladas, os norte-americanos compram cerca de 7%, pagando mais caro em comparação com os principais compradores do café queniano. De acordo com a diretoria, atualmente os EUA pagam US$ 4,78 por saca, já a Alemanha, principal importadora, paga US$ 2,86, já que compra em uma maior quantidade.

Durante o ano financeiro de 2015/2016, os EUA pagaram US$ 286,94 por sacas de 50kg, enquanto a Alemanha pagou US$ 239,12 e a Bélgica levou por US$ 229,55.

“Nós pressionamos para aumentar a venda dos torrefadores americanos e eles já se comprometeram com esse aumento em relação ao que compram atualmente”, disse Willy Bett, secretário do Gabinete de Agricultura.

O Quênia foi escolhido como um país retrato na exposição deste ano em Seattle, tornando-se o foco das atividades na Feira Comercial de Café, que teve início no dia 19 de abril. O Simpósio e a Exibição da Associação de Cafés Especiais da América é uma das maiores vias comerciais onde os produtores de café se encontram com compradores e consumidores de café especial.

Apesar da procura para expandir o mercado, o governo queniano está tentando atrair produtores de volta para a produção, após a queda de produtividade de café por cafeeiro ter caído de 10 kg para 2 kg. Essa queda se deu por conta dos produtores estarem descontentes com a má gestão, que está obrigando-os a arrancar o café e plantar outras culturas.

No simpósio, os torrefadores disseram que o café queniano tem uma vantagem comparativa sobre outros países devido à sua singularidade no gosto. Segundo eles, haverá um aumento de volume para atender a demanda crescente de seus clientes.

A maior parte do café do Quênia é exportado como grãos limpos, sendo apenas 5% torrado. Desse modo, perde-se o valor agregado da venda de café torrado e embalado.

As informações são do AllAfrica.com / Traduzido por Juliana Santin 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade