ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Uganda aumenta suas exportações para a China

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 15/12/2017

0
0
Foto: Felipe Gombossy/Café Editora 
Apesar do robusta ser a principal variedade, representando 85% do volume de exportação, a Uganda também cultiva arábica. Com cerca de 500 mil pequenos produtores, o café contribui com cerca de 30% dos ganhos totais de exportação nacional.

Há 10 anos, o país abriu as portas de seu café para a China, enfrentando um grande desafio: o país mais populoso do mundo possuía a cultura de beber chá. Com o tempo, o consumo da bebida foi crescendo no país e, apesar da variedade ser usada em blends com outras variedades de outros países, a China está convidando a Uganda a aumentar suas exportações.

Falando para a Prosper Magazine logo após retornar da Conferência e Exposição Internacional do Café, na cidade chinesa de Hainan, Joseph Nkandu, Diretor Executivo da União Nacional de Agronegócios do Café e Empresas Agrícolas, disse: “Sobre a China gostar e mostrar interesse no nosso robusta é uma ótima oportunidade. Temos uma campanha para aumentar nossas exportações para 20 milhões de quilos até 2020”.

Nkandu também disse que a Uganda torrou café robusta durante a exposição, atraindo o preço alto de US$ 60 por quilo, o dobro da cotação de US$ 30 do café arábica.

Já o governo do país, através da Uganda Coffee Development Authority (UCDA), está promovendo o café da Uganda na China, abrindo vários pontos de venda no país oriental.

Ainda segundo o diretor Joseph, é necessário um esforço de todas as partes interessadas para agregar valor ao café da Uganda e reduzir gradualmente os grãos crus exportados atualmente. “O café torrado obtém mais receita para o país do que o grão cru. Portanto, precisamos avançar neste quesito, se quisermos obter mais ganhos”, disse.

Desempenho no país
No final do ano, a Uganda atingiu uma marca recorde de exportação de sacas no mercado global de café: 4,6 milhões. Laura Walusimbi, Gerente de Comunicação da UCDA, disse: “Este é o maior volume de exportação que o país registrou. Isso se deu por conta da campanha de plantio maciço que a UCDA e outras partes interessadas estão implementando”. Segundo ela, o novo café plantado está começando a produzir grãos, impactando nos volumes de produção e consequentemente nas exportações.

A Uganda é o segundo maior país produtor de café da África, ficando atrás apenas da Etiópia. Dados da UCDA mostram que o país registrou um aumento de 38% no volume de exportações e 66% no valor obtido.

O país registrou exportações de US$ 545 milhões, mais que os US$ 326 milhões exportados no ano passado. Cerca de 80% deste café está destinado à União Europeia e 20% para o Sudão.

Status global
Em outubro de 2017, as exportações mundiais de café totalizaram 8,8 milhões de sacas, tendo uma queda de 11,4% em comparação com as 9,93 milhões de sacas em outubro de 2016.

Nos doze meses, que terminaram em outubro de 2017, as exportações de café arábica totalizaram 76,23 milhões de sacas. Ano passado, foram 72,35 milhões.
Já as exportações de robusta totalizaram 44,12 milhões de sacas, enquanto ano passado foram 45,14 milhões.

As informações são do The Monitor / Tradução Juliana Santin

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.