ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Queda na exportação deve movimentar estoques de outros países produtores

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 09/02/2017

0
0
Por Thais Fernandes, de Guaxupé (MG)

Em meio a constantes dúvidas sobre o volume de café disponível no país, a Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé (Cooxupé), maior do setor de café no Brasil, segue observando o vai e vem do mercado. “Nós não temos estoques remanescentes, mas temos estoque novo. Eu acredito que vai diminuir a exportação, mas nós não vamos deixar o mercado interno sem café”, pontua Carlos Paulino, presidente da Cooxupé, durante o segundo dia da Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas – Femagri.

A quebra do conilon, e sua posterior escalada de preços no mercado interno, elevou os preços do café arábica de menor qualidade. Foi esse movimento que, segundo Paulino, inverteu a lógica de aumento da exportações e fez com que boa parte dos cafés rio e riado permanecessem no país. “Esse ano de 2016 já foi mais interessante atender demanda interna do que externa”, conclui ele sobre o que acredita ser a tendência também para 2017.

Coletiva de imprensa no segundo dia da Femagri // Foto: Femagri/ Divulgação
Coletiva de imprensa no segundo dia da Femagri // Foto: Femagri/ Divulgação


Em 2016, os embarques ao mercado externo da Cooxupé foram de 3,9 milhões de sacas, frente à 4,27 milhões de sacas em 2015. Já o café destinado ao mercado interno cresceu 27%, alcançando 1,8 milhões de sacas em 2016.

O recuo da gigante Cooxupé em relação ao mercado externo deve agitar outras origens. “Mercados que costumam consumir os cafés rio e riado terão que procurar se abastecer com outros produtores. Por isso, a menor exportação da Cooxupé deve movimentar os estoques de outros países”, indicou o superintendente comercial da Cooperativa, Lúcio Dias.

Hoje, os estoques da Cooperativa tem 3,8 milhões de sacas. Segundo Lúcio, em café ainda não vendido são apenas 1,3 milhões delas. Ainda assim o superintendente comercial não acredita seja cedo para apontar elevação dos preços em nível internacional. “O café tem fatores diferentes, então não tem nada a ver com oferta e demanda. Tem um componente de aplicação financeiro fortíssimo, então ainda não sabemos como o mercado vai reagir”.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.