FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Cecafé vê aumento nas exportações do Brasil em 2014 apesar de seca

As exportações brasileiras de café deverão subir 6 por cento este ano com a ajuda de estoques abundantes que vão compensar uma seca severa que elevou os preços da commodity nas últimas semanas, disse nesta terça-feira o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé).

As exportações deverão atingir 33 milhões de sacas de 60 kg em 2014, ante 31,1 milhões de sacas no ano passado, disse à Reuters o diretor-geral do Cecafé, Guilherme Braga.

"Em 31 de março do ano passado, o governo publicou os números nacionais de estoques, que haviam subido para 14 milhões de sacas. Um ano antes, os estoques estavam em 8 milhões de sacas", disse.

Em fevereiro, as exportações de café verde do Brasil somaram 2,5 milhões de sacas, contra 1,97 milhão de sacas embarcadas no mesmo período do ano passado, alta de 27,5 por cento, informou o Cecafé na segunda-feira.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), do governo federal, deve divulgar no fim do mês seu levantamento sobre os estoques de passagem mantidos por exportadores, indústrias, cooperativas e produtores.

O Brasil colheu uma ampla safra de 49,2 milhões de sacas no ano passado, segundo a Conab, embora agentes do mercado tenham estimado a colheita entre 53 milhões e 60 milhões de sacas. No ano anterior, a colheita foi de um volume semelhante.

Uma forte alta nas exportações de café robusta em fevereiro, para 143 mil sacas, deverá ser insustentável ao longo do ano, disse Braga, avaliando que os preços domésticos deverão tornar este café pouco competitivo frente o produzido no Vietnã.

O executivo disse que ainda é cedo para prever a nova safra, que começa a ser colhida em maio.

Uma seca muito forte em janeiro e fevereiro reduziu o potencial da colheita total do país em quase 11 por cento, segundo uma pesquisa da Reuters com analistas, agentes de mercado e produtores.

A Conab estimou, em janeiro, a nova safra em 48,3 milhões de sacas, sem computar as perdas com a seca.

Com a alta recente nos preços internacionais, os produtores não deverão exercer suas opções de venda de 3 milhões de sacas para o governo, uma possibilidade prevista nos contratos de opção ofertados no final do ano passado, numa tentativa das autoridades de sustentar os preços, que eram baixos naquela época.

Ao contrário, os produtores irão vender este café arábica no mercado livre, obtendo preços acima dos estabelecidos na opção do governo.

"Estes 3 milhões de sacas irão manter as exportações firmes em junho e julho, enquanto a nova safra ainda estiver sendo preparada. Os carregamentos também costumam ser fortes no meses de outubro e novembro, com o tempo mais frio no Hemisfério Norte", acrescentou o executivo.

As informações são da Reuters, adaptadas pelo CaféPoint
 

4

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

WILLES SILVA

SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 11/04/2014

Cristais/MG



É lamentável ler noticiários de órgãos do governo, mais é justificável, pois quem está lá no poder ,não entende, não sabe nem o que falar sobre agricultura e por aí a fora, simplesmente ocupando cargos de interesses políticos. Conab, Ipea, IBGE, sempre divulgando dados que não correspondem com a realidade Brasileira e o povo  é obrigado a pagar a conta..
JOSE HESS

CURITIBA - PARANÁ

EM 18/03/2014

Esse número é volátil tentam fazer a velha história da especulação para segurar os preços. A quebra está geral e vai ser a maior dos ultimos anos, pois no caso do Paraná, tivemos, chuva, geadas e secas, Em Minas tivemos chuva e seca. Não há estoque suficientres e a exportação por consequncia não vai aumentar. Os produtores devem segurar seu café ao máximo, temos de ter lucro, nós os produtores.
ERIC KER BRETAS WERNER

EM 14/03/2014

Fico feliz em saber que o Brasil vai continuar ocupando lugar de destaque no fornecimento de cafés para o mundo. O que me entristece, é que o café demorou muito para subir de preço. Agora, muito poucos produtores ainda tem algum estoque de café para ser vendido por bons preços. Todo este estoque de café está nas mãos do atravessador, será que eles já sabiam que isso iria acontecer?
EDUARDO TOLENTINO

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 12/03/2014

O IBGE fala de safra de 48 milhões de cafe, engana o produtor que eu gosto!!!

Como podem dizer uma coisa desta, o estrago vai ser como nunca, vamos ver se vai nos 40 milhões .....

Vamos aguardar.