ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Cafés finalistas do concurso da Abic recebem lances nesta semana

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 30/01/2017

1
0
Da redação

As 36 sacas de arábica dos finalistas do 13º Concurso Nacional Abic de Qualidade serão leiloadas em pregão aberto desde a última quinta-feira (26/1) e que será finalizado na sexta-feira (3/2).

O lance mínimo foi estipulado em R$ 871,00 a saca, equivalente a 50% acima da cotação BMF/Bovespa da terça-feira (24), conforme regulamento da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), entidade promotora do evento.

O leilão ainda está aberto para a participação de torrefadoras, cafeterias e demais pessoas jurídicas interessadas. Para participar, a empresa deve preencher a Ficha de Lance Comprador que está disponível no site www.abic.com.br. Os lances poderão ser dados on-line pela ficha que, automaticamente, enviará uma cópia para o e-mail fornecido, ou para cristiane@abic.com.br.

Nesta edição, o pregão poderá ser acompanhado todos os dias diretamente no site da Abic, e os lances poderão ser renovados caso tenham sido superados por outra empresa. Os lances podem ser dados para aquisição de uma única saca ou de todo um lote, ou mesmo para compra de sacas de diversos lotes. Os microlotes são de duas sacas de 60 kg, apenas. Nas demais categorias os lotes têm seis sacas.

No dia 7 de fevereiro serão divulgadas as empresas campeãs do leilão, que são aquelas que deram os maiores lances. Todos os cafés serão industrializados e chegam aos consumidores em abril, compondo a 13ª Edição Especial dos Melhores Cafés do Brasil.

Prova dos cafés
Os cafés finalistas passaram pela avaliação de um Júri Técnico, composto por provadores e especialistas, e em janeiro foram degustados por um Júri Popular, integrado por consumidores em reuniões realizadas em São Paulo, Paraná, Espírito Santo e Bahia, estados produtores participantes do concurso. A pontuação do Júri Técnico correspondeu a 70% da nota final, e a do Júri Popular, a 15%. A soma incluiu também a nota de Sustentabilidade da Propriedade, equivalente aos 15% restantes.

Resultado do concurso
O microlote do cafeicultor José Alexandre Abreu de Lacerda, produzido no Sítio Pedra Menina, em Dores do Rio Preto (ES) foi eleito o campeão do 13º Concurso Nacional ABIC de Qualidade do Café, com a nota final de 8,60 pontos (em uma escala de 0 a 10).

1º – Microlote – José Alexandre Abreu de Lacerda – Nota Final: 8,60
Sítio Córrego Pedra Menina – Dores do Rio Preto (ES)

2º – Cereja Descascado – Antônio Rigno de Oliveira – Nota Final: 8,57
Fazenda São Judas Tadeu – Piatã (BA)

3º – Microlote – Clayton Mapelli Cerri – Nota Final: 8,56
Sítio Anhumas – São Sebastião da Grama (SP)

4º – Cereja Descascado – Homero Teixeira de Macedo Jr. – Nota Final: 8,40
Fazenda Recreio – São Sebastião da Grama (SP)

5º – Cereja Descascado – Flávia Garcia Mureb Saldanha Rodrigues – Nota Final: 8,31
Fazenda Califórnia – Jacarezinho (PR)

6º – Microlote – Ceres Trindade de Oliveira Santos – Nota Final: 8,05
Sítio São Joaquim – Jardim Távora (PR)

7º – Natural – Antônio Cesar Neri de Sousa Santos – Nota Final: 7,73
Fazenda Primavera – Vitória da Conquista (BA)

8º – Natural –Evilásio Shigueaki Mori – Nota Final: 7,57
Sítio Mori – Cambira (PR)

Mais informações sobre o leilão: www.abic.com.br

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

JAIME DE SOUZA

ITUETA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 31/01/2017

Concursos feitos  Brasil afora nao  condiz com a realidade. 20 sacas aqui  30 sacas ali. o produtor faz qualidade para depois  algumas industrias  colocarem palha e mandar para os consumidores  principalmente para os estados mais pobres