ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Café: conheça a história desse herói

NOVIDADES DOS PARCEIROS

EM 27/07/2009

4 MIN DE LEITURA

0
0
Hum, que cheirinho bom! Geralmente é isso que pensamos ao sentirmos o cheiro do café enquanto ele está sendo passado no coador, não é mesmo? Mas o café não representa apenas esse aroma agradável. Ele também pode fazer muito bem à nossa saúde. Cientistas de vários países do mundo têm descoberto, a cada dia, mais benefícios que o café pode trazer quando é consumido moderadamente pelo homem.

Estudos relativos às influências do café no organismo humano estão sendo realizados por profissionais da área de saúde. Esses estudos comprovaram, por exemplo, que o café pode fazer bem ao coração, evita a depressão, estimula o aprendizado, ajuda a controlar crianças hiperativas e até pode ajudar em dietas para emagrecimento.

O café contém apenas 1 a 2,5% de cafeína, substância mais conhecida presente no grão. É a cafeína que produz esse efeito estimulante ao consumir o café. Mas o café possui ainda, e em maior quantidade, diversas outras substâncias importantes para o organismo humano, tais como: minerais, aminoácidos, lipídios, açúcares, vitamina do complexo B, além dos ácidos clorogênicos, que ajudam na remoção dos radicais livres, reduzindo o envelhecimento precoce dos tecidos.

Os estudos sobre o Café e Saúde fazem parte da programação de pesquisa do Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café, instituição que reúne a totalidade das instituições brasileiras de ensino, pesquisa e extensão rural que trabalham com o café. É o Consórcio que realiza as pesquisas em prol do desenvolvimento do agronegócio café brasileiro.



Conheça a história desse herói

Como foi descoberto o seu efeito

Conta uma lenda que, por volta do ano 800, um pastor da Abissínia (atual Etiópia), chamado Kaldi, resolveu levar até um monge conhecido seu o fruto de uma planta que, segundo ele, deixava o rebanho alegre e disposto quando a ingeria. O monge, intrigado, resolveu experimentar uma infusão daqueles frutos amarelo-avermelhados e percebeu que realmente lhe ajudava a ficar mais tempo acordado durante suas meditações.

O conhecimento do efeito do café chegou então ao Norte da África e chegou ao mundo árabe em meados do século XV, quando era usado como uma pasta fortificante para que as pessoas ficassem acordadas olhando para Alá.

A fama do café foi se alastrando, chegando até os mosteiros, onde então os monges passaram a preparar uma infusão das folhas junto com o fruto em forma de chá. Certo dia, um dos monges levou alguns ramos de café carregados de frutos para perto do fogo para tentar secá-los e guardá-los para os períodos de chuva. Porém, acidentalmente, os grãos torraram, exalando um aroma agradável. Os monges tiraram os grãos do fogo e trituraram-os, transformando-os em pó e preparando a bebida. Foi assim que surgiu a forma de tomar café que conhecemos hoje.

A produção na Europa

Apesar dos árabes terem tomado medidas para manter o monopólio da produção de café, os holandeses conseguiram contrabandear os frutos frescos para as suas colônias asiáticas (Java, Ceilão e Sumatra) e, depois, para as Antilhas Holandesas, na América Central. Foi graças aos holandeses que o café começou a ser conhecido no mundo. Na Europa, inicialmente, era consumido como remédio para vários males. Só a partir do século XVII começou a ser adotado como bebida.

O café no Brasil

O café ocupa uma parte muito importante na história do Brasil. Em 1727, entrou no país pelo Pará e se adaptou facilmente ao clima brasileiro. Tanto que, em 1830, o café já era o principal produto de exportação, ultrapassando o algodão e o açúcar e, em 1845, já era responsável quase pela metade do café mundial. Assim, o café é sinônimo de progresso, contribuindo decisivamente para a industrialização brasileira.

Uma curiosidade é que as grandes plantações brasileiras surgiram de um único pé. Um cafeeiro de Amsterdã deu origem aos primeiros cafés plantados no Suriname, Guiana e Brasil. Um cafeeiro do Rio de Janeiro também iniciou a produção nos estados do Rio, Minas Gerais e São Paulo. Uma única planta de Jundiaí, interior de São Paulo, deu origem aos cafezais de Campinas e regiões circunvizinhas. Os primeiros cafezais brasileiros foram, portanto, descendentes de uma única espécie, a Coffea arabica. Foi apenas na década de 80 que a espécie robusta passou a fazer parte da pauta de produção brasileira.

Todo super-herói tem seus segredos

• Nas primeiras cafeterias turcas do início do século XVI, o café não era tomado em xícaras, mas sim em pequenos pratos, onde era servido muito quente.

• Até 1727, a planta do café não era cultivada no Brasil. Mas, dada a sua boa adaptação aos terrenos brasileiros, rapidamente começaram a exportar as primeiras sacas de grãos de café.

• O maior produtor mundial de café é o Brasil, seguido pelo Vietnã e pela Colômbia.

• Existem 78 países produtores de café no mundo. No total, produzem cerca de 100 milhões de sacas de 60 kg de café, quase um terço dos quais de origem arábica.

• A primeira utilização dada ao café foi como comida. Mastigavam-se os grãos crus ou faziam-se pastilhas das cascas de café esmagadas e misturadas com gordura animal.

• Cada xícara de café contém entre 80 e 200 mg de cafeína. Sua atividade média no nosso organismo é de 2 a 3 horas, se for café arábica ou de 4 a 5 horas, se for do tipo robusta.

Alguns números da produção brasileira

• Na safra de 2008, o Brasil produziu 46 milhões de sacas.
• Foram exportadas 29,5 milhões de sacas de 60 kg, com faturamento de US$ 4,7 bilhões.
• O Brasil possui 30% do mercado mundial de café em grão in natura.
• São 2,3 milhões de hectares de área plantada, o equivalente a 6 bilhões de pés.
• Mais da metade da produção nacional está no estado de Minas Gerais.

Clique na imagem para ampliá-la.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint