ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Marketing Estratégico no Agronegócio Café: venda melhor seu produto

EDUCAPOINT

EM 31/08/2011

1 MIN DE LEITURA

1
0
Quando se fala em marketing, muitas definições e conceitos vêm à mente. O erro mais comum é achar que marketing é somente propaganda ou comunicação. Fazer uma comunicação inócua, sem sentido para o mercado e para os consumidores finais é a mesma coisa que rasgar dinheiro. Não importa qual definição de marketing você utilizar, tenha sempre em mente que ela deve estar orientada para os desejos, necessidades e vontades dos clientes finais.

Foi consenso e continua sendo que a cafeicultura brasileira precisa de marketing eficiente para renovar sua imagem e se posicionar em novos mercados.

Os Cafés do Brasil já podem ser encontrados em importantes cafeterias formadoras de tendências, são cafés oriundos de variedades como o Bourbon Amarelo ou de microrregiões diversas. No segmento das grandes cafeterias e torrefadoras, como Starbucks e Nespresso, os cafés brasileiros aumentaram, e muito, sua participação.

Os Cafés do Brasil ocuparam um novo espaço, mas para mantê-lo e se preparar para a recuperação inevitável de nossos concorrentes devemos investir em padrão de qualidade. Ou seja, devemos mostrar ao mercado que possuímos bons cafés e que podemos garantir seu fornecimento ano após ano.

Outro importante desafio é iniciar a construção de uma imagem moderna para os Cafés do Brasil.

E como fazer isso?

O Curso Online Marketing Estratégico no Agronegócio Café abordará os principais conceitos, aspectos e ferramentas de marketing para colocação eficiente de seu café ou negócio no mercado.

Além disso, no curso você irá aprender fazer uma análise crítica de seu negócio em termos de marketing e estratégias de posicionamento de sua marca e cafés; aprender a utilizar os conceitos de qualidade para construir suas melhores estratégias de mercado; familiarizar-se com os conceitos básicos de marketing e iniciar seu próprio planejamento estratégico; ampliar sua visão de mercado, compreendendo como seu negócio se insere no ambiente da cadeia produtiva do café; compreender e aprender a olhar criticamente para o comportamento dos consumidores e sua influência em seu negócio; e aprender a identificar e selecionar as melhores ferramentas de comunicação para seu negócio e cafés.

Clique aqui e veja a programação completa.

Isso tudo você aprenderá com o instrutor Paulo Henrique Leme, que é Consultor em Marketing Estratégico no Agronegócio, especializado em café, qualidade e certificação pela P&A Marketing Internacional. Ele é Engenheiro Agrônomo, Mestre e Doutorando em Administração de Empresas pela Universidade Federal de Lavras na área de marketing, planejamento estratégico e comportamento do consumidor.

Inscreva-se agora mesmo!

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ERILDO

IRUPI - ESPÍRITO SANTO

EM 20/01/2012

Eu acho que o grande problema do cafe não é o markenting. O grande problema são os produtores que hoje que sofrem muito com a questão da exploração dos compradores e corretores que levam deles a parte real do lucro. Se um produtor colhe 1000 sacas e o corretor chega a guanhar até 50 reais por saca podendo dobrar esse valor em lucro. Na produção de café do produtor e de esperteza o corretor ainda usa a nota de produtor rural do cliente pra guiar e vender o café que ele comprou e não paga imposto algum a nun ser o icms do frete. Quem realmente não lucra com essa historia é o produtor. Hoje o produtor está se endividando no banco com muitos empréstimos, mão de obra cada vez mais cara. Na produção o produtor não lucra em café como muitos acham, o produtor endividado é explorado pelos compradores de café e corretores, e governo é que lucra com o café. O produtor nada mais é do que um empregado quase escravo desse regime. Falo isso porque sou produtor de café, filho e neto de produtor.
CaféPoint AgriPoint