FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Produção cresce em praticamente três países

RODRIGO CORREA DA COSTA

EM 23/06/2015

3 MIN DE LEITURA

0
0
A semana no café foi agitada com o destaque para a explosão do spread Jul15-Sep15 do contrato de robusta da ICE que no dia 12 de junho negociava a um desconto de US$ 11.00 por tonelada e na quinta-feira atingiu incríveis US$ 116.00 de prêmio.

A inversão do switch começou na segunda-feira passada, mas foi na quarta-feira que o solavanco foi maior, provocado pelo exercício de quase três mil lotes de opções de compra de preço de exercício de US$ 1800, quando o mercado negociava a US$ 1785, ou seja, 15 dólares fora do dinheiro.

O vencimento das opções Londrinas se dá no meio do pregão, as 12:30 pm do horário local. Há um atraso entre o detentor exercer a opção e quem estava vendido tomar ciência de ter sido exercido, e quando o último se deu conta do que aconteceu então a movimentação foi brusca.

Parece improvável que o squeeze se mantenha durante o período de notificação daquele contrato que começa em 1 de julho, dado que há mais de 3 milhões de sacas certificadas. Imagina-se também que com um estoque deste tamanho o desconto volte à tela, isso tudo seguindo um raciocínio lógico. Por outro lado as regras do contrato podem ser testadas levando a um comportamento pontualmente desconexo. Veremos.

O dólar americano continuou a escorregar mais na semana, ainda que o imbróglio grego permaneça enrolado. Os investidores mantêm o otimismo de que um acordo acontecerá até o fim do mês, com as bolsas de ações em geral reagindo de forma positivas.

O contrato de arábica de Nova Iorque cedeu, como previsto, com o COT mostrando os fundos menos vendidos, entretanto não fez, ainda, nova mínima, ficando a apenas US$ 1.60 centavos por libra dos US$ 126.30 centavos que negociou no dia 27 de maio último. A atividade se concentrou nas rolagens de posição já que o período de entrega começa nesta segunda, dia 22 de junho.

No físico têm sido reportados mais negócios a diferenciais estreitos para quem precisa cobrir suas necessidades, tanto para este ano como para a primeira metade de 2016. Ouvi também que há apetite de venda para diferenciais largos de alguns, não em volume, mas que leio como sendo muito perigoso principalmente para 2016 quando o “aperto” de qualidade deve acontecer.

Uma multinacional revisou para cima sua expectativa da safra brasileira 15/16 de 49.75 milhões de sacas para 51.8 milhões de sacas. A colheita do arábica esperada é de 35.7 milhões de sacas e do conilon de 16.1 milhões de sacas. É possível que outras casas ajustem seus números dependendo do volume de embarque do Brasil e da renda apurada ao final da colheita.

O USDA soltou seu relatório que resume os números de produção mundial. A entidade espera que a produção de 15/16 aumente em 6.4 milhões de sacas para um total de 152.7 milhões de sacas, mas ao mesmo tempo vê uma queda para os estoques mundiais para o menor patamar em quatro anos, 31.54 milhões de sacas.

No evento de altíssimo nível promovido pela BM&F sobre as perspectivas para o Agribusiness apresentações macroeconômicas sugeriram uma desvalorização do câmbio tanto para este ano como para o próximo, com o real batendo pelo menos R$ 3.40 ainda em 2015. Se isto acontecer vai ficar mais complicado para o café subir demais.

No painel que tive o prazer de participar e fazer uma apresentação sobre o café, eu resumi o pensamento chamando a atenção para a questão da disponibilidade não ser suficientemente abundante mesmo que a safra 16/17 do Brasil venha a ser grande como o potencial, prematuramente, possa indicar. Com um consumo global crescendo a taxas vegetativas, ou levemente mais altas, só três países tem demonstrado capacidade de acompanhar a necessidade de mais grãos, mas para tanto o preço tem de estimular.

Preço, diga-se de passagem, nas moedas locais dos produtores, portanto não podemos deixar de monitorar o dólar nas análises e leitura do mercado.

Uma excelente semana e muito bons negócios a todos,

*Rodrigo Corrêa da Costa escreve este relatório sobre café semanalmente como colaborador da Archer Consulting

RODRIGO CORREA DA COSTA

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint