FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Café acima de R$ 500 por libra em Nova Iorque

RODRIGO CORREA DA COSTA

EM 17/11/2014

3 MIN DE LEITURA

3
0
O mercado acionário americano teve uma semana positiva com o Dow Jones e o S&P500 fazendo novas máximas históricas, em uma clara contribuição da queda do petróleo para as mínimas de quatro anos. Novas ameaças de sanções à Rússia e sinais fracos da economia Chinesa a princípio serviram mais para conter os ganhos dos ativos de risco do que causar uma liquidação dos preços.

O índice do dólar negociou no maior patamar desde 2010 recuando na sexta-feira em uma aparente tomada de lucro dos traders que estão vendidos no Euro.

Foto: Tricia Vieira/ Café Editora
 
Foto: Tricia Vieira/ Café Editora

No Brasil a não divulgação do resultado da Petrobras e a demora da presidente reeleita em anunciar seus novos ministros fez com que o Real desvalorizasse para o menor nível desde 4 de abril de 2005. O cenário para a economia Brasileira continua negativo e Dilma não tem se preocupado em acalmar os mercados, gerando com isso mais ansiedade e mais incertezas para praticamente todos os setores.

O café em Nova Iorque teve uma boa recuperação logo após ter se mantido acima de patamares técnicos importantes, ajudado também pelas chuvas em menor volume no Brasil e um prognóstico de tempo aberto até a próxima quinta-feira.

O contrato de março de 2015 da ICE subiu US$ 12.75 por saca, e convertido em reais rompeu novamente os R$ 500.00 centavos por libra, nível que não tem conseguido se sustentar acima por muito tempo.

Como consequência, e mesmo com um volume da safra atual negociado acima da média, o fluxo no mercado interno brasileiro melhorou, e os diferenciais voltaram a baratear para praticamente todas as origens.

Londres se mantendo firme, com menos volatilidade do que o arábica, não atraiu ainda tanta venda de Vietnã, cuja colheita atrasou com disponibilidade devendo aumentar só a partir da próxima semana. Os descontos para o café vietnamita estão chegando perto dos patamares que interessam aos produtores vender, o que de certa forma serve de um alerta para a abertura eventual da arbitragem, e logo para uma resistência que Nova Iorque enfrentará.

Em setembro os estoques nos seis principais portos europeus, dado divulgado pela Federação Européia de Café, totalizaram 12,094,652 sacas, bem acima dos 10,545,828 sacas que haviam por lá em setembro de 2013. No Japão os estoques estão em 3.1 milhão de sacas, apenas 102 mil sacas maiores do que no mesmo mês do ano anterior. Nada de novo nas estatísticas, que refletem a transferência dos inventários dada a apreciação dos terminais no ano.

Novidades mesmo são as estimativas que estão sendo publicadas por analistas brasileiros para a safra 2015/2016, creio que em função dos mesmos terem percorrido as áreas das floradas. Um exportador local estima uma produção entre 28 e 31 milhões de sacas de arábica e 16 milhões de conillon, totalizando entre 44 e 47 milhões de sacas para o próximo ciclo. Um respeitado produtor e agrônomo prevê o número do arábica entre 25.6 e 29.6 milhões de sacaS e 13.7 milhões de conillon, ou seja entre 39.3 e 43.3 milhões de sacas no geral. Na minha opinião só veremos o terminal acima de US$ 250 centavos por libra-peso caso a safra brasileira seja menor que 40 milhões de sacas e o Real volte a valorizar para 2.20, do contrário o terminal deve ser vendido em eventuais subidas acima de 210 centavos.

O clima vai manter os traders atentos e nervosos com suas posições, e a moeda brasileira não deve ser ignorada já que é um componente importante no fundamento e um outro fator limitador de novas altas.

Tecnicamente o fechamento é positivo, e no curto-prazo o mercado ganha gás para trabalhar acima de dois dólares e (sustentando) tentar buscar um “gap” que foi deixado entre 210.00 e 212.50 no gráfico de março.

Uma boa semana e bons negócios a todos.

*Rodrigo Corrêa da Costa escreve este relatório sobre café semanalmente como colaborador da Archer Consulting

RODRIGO CORREA DA COSTA

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

DELVO FREIRE

BOA ESPERANÇA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 21/11/2014

-Comungo também `com a opinião do Ademis Deboni Vitti; também já tenho minha aposta !..........
ADEMIS DEBONI VITTI

RIO CLARO - SÃO PAULO

EM 21/11/2014

Rodrigo Correa, sua visão e sempre baixista para café ! Desde a safra de 2014/2015 todos produtores comentam que a quebra seria maior que 2015/2016. O que você está ignorando e ninguém sabe são estas estimativas que são feitas! Agora lhe pergunto em que ? Moro no interior de SP, e aqui meu amigo fez em outubro várias dias seguidos temperaturas em torno de 40 c.  Isso já contando que em janeiro e fevereiro 2014 foram extremamente secos. Acho que isto com certeza deverá ter afetado os cafezais de alguma forma, pois foge da normalidade. Aqui deu uma chuva significativa em novembro, e depois novo veranico. Portanto você bem otimista em relação a safra e estoques de passagem, lhe pergunto acha que não vai faltar café então, eu já fiz minha aposta,rs!
DELVO FREIRE

BOA ESPERANÇA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 18/11/2014

FLORADA NUNCA SIGNIFICOU GRÃO SADIO DE CAFÉ........VARIAS VEZES JÁ VÍ NESTES QUASE QUARENTA ANOS DE PRODUTOR FLORES LINDAS SENDO ABORTADAS !...... por inúmeros fatores, como falta de chuva, ventos fortes, excesso de chuva (isto mesmo) já perdi floradas maravilhosas que foram derrubadas por ""chuva de pedra """  outras que na fase de chumbinho também caíram !........mais enfim o produtor tem de ter paciência e muita fé em Deus ................