Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Radares Técnicos > Pós-Colheita

Construção de mini - silos para armazenamento do café

Por Juarez de Sousa e Silva , Roberta Martins Nogueira , Consuelo Domenici Roberto e Cristiane Pires Sampaio
postado em 23/08/2007

2 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A etapa de armazenamento é tão importante quanto as demais etapas do processamento pós-colheita do café, devendo ser realizada de forma correta, com utilização de tecnologias adequadas para garantir o armazenamento seguro e a qualidade do produto.

Os lotes de café, com teor de umidade entre 12 e 11,5% b.u. podem ser armazenados de maneira convencional. Acondicionados em sacos de juta de 60 kg de capacidade, eles deverão ser empilhados de acordo com a origem ou o tipo do produto, ou ainda armazenados a granel em tulhas ou silos.

A armazenagem a granel permite o acondicionamento de grandes volumes de café, porém há necessidade de sistemas de ventilação adequados, controle da temperatura e umidade da massa de grãos e do ambiente e boa proteção contra umidade e chuvas para a manutenção do produto em condições ideais de temperatura e umidade.

Os silos ou tulhas podem ser construídos facilmente e com um custo relativamente baixo, atendendo às necessidades principalmente de pequenos e médios cafeicultores. Um desses silos é o mini-silo com descarga central, cuja construção deve ser feita como segue:

O primeiro passo é a escolha e a preparação do local da propriedade em que os silos serão construídos. Neste caso, deve ser uma área de fácil acesso e, preferencialmente, próximo à unidade de beneficiamento do café, observando a seqüência operacional da unidade de preparo, secagem e beneficiamento. O ideal é que a construção seja realizada sob uma área coberta, possibilitando a carga e descarga independentes das condições climáticas e a melhor proteção do produto armazenado.

Após a definição do local, a construção do silo com descarga central inicia-se com a marcação e o posicionamento do elemento de sustentação do silo. As paredes ou a base de sustentação devem ser construídas em terreno compactado com tijolos maciços e sobre um alicerce de concreto, sempre verificando as condições do solo para dimensionar e construir o alicerce (Figura 1).


Figura 1- Parede de sustentação do silo (3,5 ton)

Para um silo com capacidade maior que 3,5 ton de café, as dimensões das paredes ou a base de sustentação são apresentadas na Figura 2. A argamassa para a construção deve ter o traço (1,5:6:2) ou 1,5 parte de cimento, para 6 partes de areia e 2 partes de terra de barranco peneirada. As paredes podem ser rebocadas com o mesmo traço usado para assentamento dos tijolos.


Figura 2- Paredes de sustentação para silos maiores com descarga central.

Em seguida, deve-se fundir uma laje em concreto armado com ferragem de 3/8 de polegada nas dimensões de 2,20 x 2,20 x 0,07, considerando um silo com capacidade de 3,5 ton (Figura 3). Deve-se utilizar concreto com traço de 1:3:3 (uma parte de cimento para três de areia lavada e três de brita nº1). Esta laje pode ser fundida em dois segmentos, preferencialmente em uma área limpa e plana. Para silos com descarga central deve-se deixar um furo central com 150 a 200mm de diâmetro no segmento central ou no meio da divisão da laje. Antes da colocação da laje sobre as paredes, deve-se colocar uma camada de argamassa no mesmo traço utilizado para o assentamento de tijolos (1,5:6:2) para dar melhor ajuste e fixação à laje sobre a parede.


Figura 3- Laje para sustentação do silo com descarga central.

Terminada a construção da base de sustentação do silo, segue-se com a construção do esqueleto de sustentação do silo, construído basicamente de uma armação feita com tela de arame (para cercado) e vergalhões. A tela recomendada é feita com arame nº 14 e malha igual ou menor que 50mm. Para silos com esta capacidade de armazenagem, a tela deverá ter as dimensões de 1,80 x 6,30m (11,4 m2). Separadamente, devem ser preparados cinco pedaços de arame liso (ovalado) com comprimento de 6,4m e oito vergalhões de 6,35 mm (1/4") com comprimento de 1,8m. Os arames lisos serão utilizados na construção de aros, que ficaram dispostos ao redor da tela, no sentido de sua largura, dando-lhe a forma cilíndrica. Com a tela aberta, atravessa-se em suas malhas os oito vergalhões, no sentido da largura da tela, distanciados, aproximadamente 0,80m, sendo que o primeiro vergalhão deve ser colocado cerca de 0,40m das extremidades da tela (Figura 4).


Figura 4- Especificação e dimensões da tela para construção do silo e disposição dos vergalhões de sustentação vertical na tela.

As extremidades da tela são unidas e a partir deste ponto pode-se iniciar a colocação dos cinco arames ovalados horizontalmente e entre as malhas da tela, de modo a se obter o formato cilíndrico da armação da tela (Figura 5).


Figura 5- Vista geral da armação metálica para formação da parede do silo.

O dispositivo de descarga do silo pode ser feito com tubo de PVC com tampão ou constituído de um pedaço de câmara de ar e de um pequeno aro de vergalhão (Figura 6). Deve-se tomar o cuidado de não ficar nenhuma ponta de arame para dentro do esqueleto cilíndrico para posteriormente não danificar a lona plástica que envolverá o produto armazenado.


Figura 6- Segmento de câmara de ar para construção da descarga do silo.

Uma lona de revestimento interno é necessária para a construção da parede do silo para garantir a proteção temporária do produto armazenado (Figura 7). As seguintes etapas devem ser seguidas para o preparo das lonas:

• Abrir uma lona em local limpo e com cuidado para não perfura-la;

• Unir dois lados da lona, interna e externamente, com fita adesiva, de maneira a formar um tubo, mantendo um transpasso de 10 cm;

• Repetir a operação com a segunda lona;

• Introduzir uma lona dentro da outra de forma a fazer um tudo com parede dupla;

• Adaptar o dispositivo de descarga a uma das extremidades do tubo formado segundo o passo anterior. Pode-se também fazer um furo central das lonas e adaptar o dispositivo de descarga.


Figura 7- Montagem da lona plástica com o tubo de descarga.

A montagem do silo é feita da seguinte maneira: a armação telada é colocada sobre a laje e a lona plástica dentro da armação, de modo a revesti-la internamente (Figura 8). A extremidade vedada (com o dispositivo de descarga), deve ficar dentro do furo central da laje. Observar que o comprimento da lona deve ser maior que a altura do silo para que depois de cheio com o produto a ser armazenado, se possa fechar o produto como se estivesse dentro de um grande saco.


Figura 8- Estrutura de tela e detalhe da lona no interior da tela sobre a laje.

Alguns cuidados devem ser tomados para que a qualidade do grão armazenado não seja comprometida. São eles:

-Teor de umidade do produto: o café antes de ser armazenado deve passar por uma secagem prévia, para retirar o excesso de umidade que veio do campo. O importante é que o produto não esteja com teor de umidade acima de 12%. Umidades elevadas, em silos sem ventilação adequada, facilitam o desenvolvimento rápido de microorganismos e conseqüente deterioração com possível perda total do produto.
-Teor de impureza do produto: para que se tenha sucesso com o armazenamento em silos, o produto deve estar limpo e isento de pragas.

Deve-se observar a importância dos cuidados necessários para não perfurar a lona plástica. O excesso de lona tem a finalidade de permitir um bom fechamento do silo logo após o enchimento (Figura 9).


Figura 9- Detalhe do carregamento e fechamento do silo antes de confeccionar a parede.

O revestimento externo do silo será feito quando este já estiver completamente cheio e vedado (Figura 10). A argamassa tem a finalidade de dar proteção à lona plástica, para que não venha a ser perfurada por qualquer agente externo e dar completa proteção ao produto armazenado. A argamassa é aplicada à semelhança da técnica de estuque e terá uma espessura de aproximadamente de 2,5cm quando acabada devendo receber uma pintura para revestimento externo.


Figura 10- Formação da parede.

Para a safra seguinte ou o esvaziamento do silo, a lona plástica deverá ser cuidadosamente removida, recolocada depois da palicação do revestimento interno de argamassa e receber uma pintura interna à semelhança da externa. Após este procedimento o silo estará definitivamente construído (Figuras 11).


Figura 11- Vista do silo-armazenador com descarga central para café.

Abaixo estão listados os materiais necessários para construção de um silo-armazenador com descarga central para café.

Saiba mais sobre os autores desse conteúdo

Juarez de Sousa e Silva    Viçosa - Minas Gerais

Pesquisa/ensino

Roberta Martins Nogueira    Viçosa - Minas Gerais

Pesquisa/ensino

Consuelo Domenici Roberto    Viçosa - Minas Gerais

Estudante

Cristiane Pires Sampaio    Viçosa - Minas Gerais

Consultoria/extensão

Avalie esse conteúdo: (4 estrelas)

Comentários

Luiz Antônio Valle Guimarães

Vitória - Espírito Santo - Produção de café
postado em 24/08/2007

Tulha para armazenagem de café.

JAIR TAVARES DE AGUIAR

São Paulo - São Paulo - Pesquisa/ensino
postado em 14/09/2007

Bom dia senhores(as),

Participo de um projeto para armazenamento e beneficiamento de café. Preciso de dados referente às condições físicas ideais do armazém, ou seja, temperatura, umidade, ventilação natural, iluminação natural/artificial, para a determinação de materiais empregados na estrutura e concepção do armazém.

Dispõem de algum levantamento realizado "in loco" aferindo as condições encontradas em armazéns em funcionamento e não em laboratório? A finalidade seria de, a partir destes dados, escolher os melhores materiais que permitam as condições ideais para armazenamento e beneficiamento dos grãos de café.

Desde já agradeço.
Sds. Jair.

Prezado Jair

Sob as condições de armazenamento aferidas "in loco", nós não temos esses dados. E o tipo de material a ser empregado na construção do armazém irá depender das condições locais. Eu aconselho a você procurar um material bibliográfico sobre armazenamento de café, mesmo que os dados sejam determinados em laboratório, estes não serão muito diferentes das condições reais não.

Qualquer dúvida entre em contato.

Atenciosamente

Roberta Martins Nogueira
Departamento de Engenharia Agrícola
Universidade Federal de Viçosa
Viçosa - MG - BRASIL

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário

Copyright © 2000 - 2014 AgriPoint Consultoria Ltda. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade